. .

Segmentação e redução do IPI impulsionam Movelsul Brasil 2012

 
Em balanço preliminar, recordes de público na quarta-feira e de participantes estrangeiros foram destacados
 
A grande aposta da Movelsul Brasil 2012 se concretizou. A segmentação implantada após pesquisas feitas com expositores e visitantes apresentou uma feira com maior potencial para o fechamento de negócios. Até o penúltimo dia do evento, 29.980 visitantes passaram pelos pavilhões do Parque de Eventos de Bento Gonçalves (RS). A feira, que se encerra nesta sexta-feira, dia 30, deve gerar em torno de U$ 360 milhões – 10% a mais do que a estimativa inicial. O aumento é reflexo da medida anunciada na segunda-feira pelo governo federal, reduzindo por três meses o IPI para móveis. 
Em um balanço preliminar da Movelsul Brasil, o presidente João Paulo Pompermayer anunciou público recorde na última quarta-feira, quando oito mil pessoas estiveram nos pavilhões. Este é o maior número diário da história do evento. Com isso, a expectativa de 35 mil visitantes deve ser superada. Com uma proposta de continuidade do trabalho, o foco da feira na classe C será mantido nas próximas edições. “Já sabemos que o modelo adotado foi totalmente aprovado pelos lojistas. Agora, nas pesquisas feitas após o término da Movelsul, saberemos também se o expositor superou suas expectativas”, frisa.
Outra marca dessa edição foi o número recorde de países estrangeiros e importadores participantes. Somente no Projeto Comprador, 18 países estiveram representados em mais de 300 reuniões nos stands de expositores inscritos. O volume de negócios projetado é de US$ 35 milhões ao longo de 12 meses. Além disso, outros 20 visitaram espontaneamente a Movelsul, totalizando 38 nacionalidades diferentes. “Traçamos metas audaciosas e elas foram plenamente alcançadas. Apesar das dificuldades no mercado externo, com a política cambial e os altos custos de produção no país, mostramos que é perfeitamente possível diferenciarmos nossos móveis através de design, produtividade e qualificação da mão de obra”, conclui.