Notícia

  • 17 Ago 2016
    Sindmóveis: Polo moveleiro segue enfrentando perdas

O polo moveleiro de Bento Gonçalves, formado por cerca de 300 empresas de Bento Gonçalves, Monte Belo do Sul, Pinto Bandeira e Santa Tereza, teve faturamento de R$ 901,7 milhões no primeiro semestre de 2016 – queda nominal de 18,5% em relação ao mesmo período de 2015. No RS, o faturamento foi de R$ 2,8 bilhões, queda nominal de 12,6% no mesmo tipo de comparação. A produção física industrial do Brasil caiu 14,9% na variação acumulada no ano de janeiro a junho, comparado a mesma base de 2015.

Segundo o presidente do Sindmóveis, Henrique Tecchio, o ano de 2012 foi o último com balanço positivo para o polo moveleiro de Bento Gonçalves, quando foi verificado crescimento de 7,5% no faturamento, resultado superior à produção industrial como um todo naquele ano. No ano seguinte, o saldo nominal já beirou os 3%, o que não representa um crescimento real, considerando o aumento dos custos de produção. Em 2015, por fim, houve queda nominal de 13,4% em comparação ao ano de 2014. “O cenário vem se agravando e exigindo cada vez mais das empresas em se tratando de planejamento, redução dos custos de operação e busca de novos mercados”.

Em relação aos postos de trabalho, a indústria moveleira de Bento Gonçalves encerrou o primeiro semestre com 6876 empregos diretos, uma queda de 318 vagas desde o início do ano. Desde 01 de janeiro de 2015 foram perdidos mais de 1400 postos de trabalho na indústria. No RS, foram perdidos 1.018 empregos, sendo que a indústria de móveis encerrou o semestre com 37.760 postos de trabalho diretos. Em relação ao Brasil, a indústria de móveis fechou 8.881 empregos no primeiro semestre de 2016, encerrando o semestre com 250.697 postos de trabalho diretos.