Notícia

  • 20 Jun 2016
    Sindmóveis busca reverter decreto boliviano que inibe importações moveleiras

O Sindmóveis Bento Gonçalves está mobilizando as entidades industriais do estado e o MDIC contra a recente medida tomada pela Bolívia de controle das importações, que afeta, sobretudo, as fabricantes de móveis e têxteis. Por meio do Decreto Supremo Número 2752, que entra em vigor no dia 1º de julho, o governo boliviano estabeleceu a obrigatoriedade de trâmites prévios para as importações de diferentes produtos, entre eles os móveis de madeira.

O texto estabelece um prazo de 60 dias úteis e determina diversos procedimentos e autorizações prévias para autorização de importações. Na análise do Sindmóveis, a medida impactará negativamente as indústrias moveleiras da região, do estado e país. Sobretudo, porque trata-se de um decreto discriminatório, válido apenas para países não integrantes da comunidade andina. Dessa forma, a entidade reivindica que os benefícios da comunidade andina sejam estendidos ao Mercosul. “A medida, entrando em vigor, traz dificuldade e imprevisibilidade aos exportadores de móveis nacionais, justamente em um momento de grave crise econômica brasileira”, pontua o presidente do Sindmóveis, Henrique Tecchio.

A Bolívia é um dos principais mercados para os móveis de Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul e Brasil. Somente em 2015, o polo moveleiro de Bento Gonçalves exportou mais de US$ 1,5 milhões ao país. Os dados de janeiro a maio indicam um crescimento de 30,4% em relação ao mesmo período do ano anterior e coloca esse mercado entre os dez principais destinos das exportações do polo.