Notícia
  • 09 Set 2014

    Projeto Orchestra Brasil participa de feira na China


Ação tem como objetivo entender o mercado e apresentar os insumos produzidos no Brasil
 
De 10 a 13 de setembro, o Projeto Orchestra Brasil de incentivo às exportações de insumos para a indústria moveleira, promovido pelo Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis) e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), participará da Furniture Manufacturing & Supply (FMC China 2014). A feira, realizada em Shangai desde 1993, recebeu quase 34 mil visitantes em 2013 e, neste ano, será realizada simultaneamente à Furniture China 2014. 
A participação tem como objetivo entender e prospectar o mercado, apresentando as soluções e tecnologia dos fabricantes brasileiros. Uma cozinha desenvolvida pela BRV Móveis vai mostrar aos visitantes um panorama da indústria brasileira de insumos para móveis, com exposição de componentes, acessórios e acabamentos produzidos pelas empresas integrantes do Orchestra Brasil. 
A China conta com a maior e mais dinâmica indústria moveleira mundial, sendo, consequentemente, um dos principais fabricantes e importadores de insumos e componentes para fabricação de móveis. Segundo o presidente do Sindmóveis, Henrique Tecchio, o país é considerado estratégico para parcerias e entendimento do mercado mundial do setor. “O Sindmóveis trabalha para fortalecer a cadeia moveleira como um todo e entende que, auxiliando nas exportações dos seus fornecedores, contribui para a excelência também do móvel brasileiro”, pontua.
O Projeto Orchestra Brasil existe desde 2006 e promove a inserção competitiva de fornecedoras do setor moveleiro no mercado internacional de forma sustentável. Atualmente, conta com a participação de 72 empresas e 38 estúdios de design. O projeto vem mantendo bons resultados nos últimos anos. Em 2013, as empresas participantes registraram incremento importante em suas exportações. Em comparação a 2012, as exportações cresceram 14,6%, completando quatro anos consecutivos de crescimento. Os mercados prioritários foram essenciais para esse desempenho. O crescimento nesses países foi de 19,4% em 2013, superior ao geral, assim como ocorreu nos outros anos.