Notícia
  • 05 Mar 2014

    Projeto Orchestra Brasil é renovado para o biênio 2014/2015


Foto destaque da notícia

Parceria entre Apex-Brasil e Sindmóveis fomenta exportações de fornecedores da indústria moveleira
 
Será assinada nas próximas semanas a renovação do convênio de cooperação técnica e financeira entre a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e o Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis) que dará continuidade ao Projeto Orchestra Brasil no biênio 2014/2015. A iniciativa existe desde 2003 e promove a inserção competitiva de fabricantes de insumos, componentes, tecnologias, acabamentos, produtos químicos e serviços de design para o setor moveleiro no mercado internacional. Ao todo, 123 indústrias e estúdios de design participam da ação.  
A estratégia para os próximos dois anos está focada no ganho de competitividade da indústria brasileira e estará centrada em investimentos que visam agregar valor ao produto nacional por meio do design, da inovação contínua e da sustentabilidade. O planejamento do projeto envolve a presença nas principais feiras mundiais para fornecedoras da indústria do mobiliário, a participação em ações de relacionamento, a prospecção de novos mercados e a realização de projetos compradores e vendedores. A meta é manter o ritmo de crescimento no valor exportado pelas empresas participantes, bem como a presença dessas empresas nos mercados conquistados. Além disso, pretende-se atingir novos mercados identificados como potenciais e fomentar a primeira exportação daquelas empresas que ainda atendam somente ao mercado interno. 
Para o Gestor do Projeto na Apex-Brasil, Emanuel Figueira, os resultados alcançados pelo setor no último biênio justificam a manutenção do apoio da Agência: “tivemos um ganho considerável no valor exportado pelas empresas participantes do Projeto Orchestra Brasil em 2012/2013, que se mostrou ainda mais satisfatório quando analisados o incremento no valor agregado e o histórico de continuidade destas empresas no esforço exportador. O Projeto agora pretende dar um novo passo, com uma estratégia que permita um posicionamento diferenciado da oferta brasileira no mercado externo ao mesmo tempo em que estimule eficientemente o movimento de internacionalização da indústria. Trata-se, portanto, de trabalhar aqueles atributos que nos tornam diferenciais no mundo: a criatividade de nossos designers, a inovação em processos/produtos, a diversidade de materiais disponíveis e a sustentabilidade”.  
De fato, o ano de 2013 registrou bons resultados para as empresas participantes do Projeto Orchestra Brasil. Em comparação a 2012, as exportações cresceram 11,2%, completando quatro anos consecutivos de crescimento. Os mercados prioritários foram essenciais para esse desempenho. O crescimento nesses países foi de 16,8% em 2013, superior ao geral, assim como ocorreu nos anos anteriores. Os principais desempenhos foram registrados no Chile (81,7%), Equador (48,1%), Colômbia (35,9%), Estados Unidos (25,3%), Peru (28,3%), Paraguai (12,1%) e Guatemala (25%). 
O presidente do Sindmóveis, Henrique Tecchio, destaca que os mercados-alvo para o Projeto Orchestra Brasil nos próximos dois anos contemplam países com boas perspectivas de crescimento e consumo. “Temos um cenário de câmbio favorável, que estimula as exportações brasileiras. O Brasil detém apenas 1% das exportações mundiais, o que significa dizer que há amplo espaço para crescimento em todos os setores, inclusive de móveis e insumos para a indústria moveleira”, pontua.
Os mercados-alvo para a indústria nos próximos dois anos serão África do Sul, Argentina, Colômbia, Estados Unidos, Guatemala, México, Peru e Turquia. O núcleo de design atuará com ênfase nos Estados Unidos.