Notícia
  • 08 Set 2015

    ESCLARECIMENTO DAS NEGOCIAÇÕES DA CONVENÇÃO 2015/2016


O avanço do desemprego tem sido intenso no nosso setor.

 

O enfraquecimento das nossas indústrias já se arrasta nos últimos anos e o Sindicato Patronal jamais deixou de dialogar com o Sindicato Profissional.

 

É com muita tristeza e com indignação que tomamos conhecimento da missiva elaborada pelo Sindicato dos Trabalhadores que assevera que não existe diálogo entre as partes, pois é uma inverdade, na medida que desde Janeiro do corrente ano as conversações a respeito da Convenção vem sendo realizadas.

 

O fato é que o Sindicato Profissional insiste em desconhecer o grave momento econômico que o Brasil e o nosso setor atravessam. 

 

Nossa comissão de negociação, respaldada pela assembleia geral, já ofereceu com enormes esforços, o equivalente a 100% da inflação oficial do período, porém o Sindicato Profissional simplesmente NÃO ACEITA, sem um argumento no mínimo justificável. O que é pior, agora, passa a individualizar as negociações, usando indevidamente os nomes do Presidente e do seu vice do Sindicato Patronal, numa atitude antiquada não mais utilizada nos tempos atuais nas negociações coletivas entre o capital e o trabalho.

 

Ora, todos nós sabemos que as decisões não são tomadas de forma individual por qualquer Diretoria, mas, sim, sempre respaldada, democraticamente, pela assembleia geral.

 

Reiteramos que as negociações estão abertas e estamos altivos e cientes de nossa responsabilidade Sindical perante  todas as empresas integrantes da nossa categoria.

 

Realmente, não FOI DIFERENTE NESTES 37 ANOS e estamos preservando o diálogo com a devida responsabilidade social perante todos os nossos colaboradores, embora defendemos os interesses patronais, pois estamos conscientes da nossa responsabilidade perante a sociedade.

 

Reafirmamos, que embora atacados de forma injusta e individualizada acerca de temas que sequer são discutidos em convenção e portanto inverídicos (redução de salários, terceirização e retirada de direitos), que iremos manter o diálogo como o fizemos nestes 37 anos de forma responsável, honesta e conscientes do papel social que nosso Sindicato deve desempenhar perante toda sociedade.