Notícia
  • 14 Jul 2017

    Avanços da Indústria 4.0


Foto destaque da notícia

A palestra do alemão Ernst Esslinger no 27º Congresso da Movergs acendeu um alerta de novos tempos para a indústria moveleira gaúcha. O especialista em Indústria 4.0 da Homag trouxe novidades sobre esse conceito criado na Alemanha para aumentar a produtividade das indústrias. A base desse conceito são sistemas físico-cibernéticos que conectam toda a linha de produção das empresas, basicamente como ocorre hoje com tablets e celulares. Além de sua atuação no grupo Homag, Ernst Esslinger coordena o projeto alemão de pesquisa para segurança de TI na Indústria 4.0, que envolve 21 grandes indústrias e tem aporte governamental.

A Indústria 4.0 representa, na verdade, a quarta Revolução Industrial. Olharam para os últimos 200 anos, os alemães pontuaram que, depois da idealização das máquinas, a chegada das linhas de produção e a automação da produção, vem agora um período que traz para a indústria a conectividade que as pessoas já têm no seu cotidiano. “Não se trata de uma ameaça, mas uma oportunidade de melhorar toda a produtividade da indústria, inclusive a moveleira, inspirando fabricantes – tanto pequenos, quanto grandes – a buscar soluções de automação como diferencial competitivo”, pontua.

Nesse momento, o que a Indústria 4.0 precisa para efetivamente ser implantada são interfaces que ainda estão em desenvolvimento. Equipes inteiras de engenharia estudam, na Alemanha, alternativas para que as máquinas de uma linha de produção possam conversar entre si. São estudados, inclusive, meios de conectar as máquinas atuais nesse sistema, pois nenhuma empresa trocaria toda sua linha de produção de uma vez. Uma das grandes preocupações, segundo Ernst Esslinger, é a segurança das informações. Ernst elenca que já estão disponíveis no mercado as conexões entre máquinas, as soluções personalizadas, as peças inteligentes também (são as peças identificadas com códigos de barras), assim como os dados na nuvem. “Para garantir a eficiência da Indústria 4.0, estão em pleno desenvolvimento as interfaces. Os mecanismos de segurança na internet, de extrema importância, ainda é um tema a ser ainda desenvolvido. Já temos conexões verticais e horizontais que industria 4.0 necessita. Ainda é preciso desenvolver alguns softwares para melhorar o sistema em relação à parte externa da máquina”, explica.

Nesse momento que representa a plena transição entre a terceira e a quarta Revolução Industrial, Ernst Esslinger reforça que a transformação é iminente. Segundo ele, nesse momento, os vendedores de máquinas já não vendem somente máquinas, mas sistemas completos. “O setor moveleiro precisa se adaptar a isso. No futuro, uma máquina sem uma rede não servirá para nada. O sistema de trabalho nas empresas vai mudar e os trabalhadores terão que se adaptar, com investimentos em qualificação”, alerta. O engenheiro completa: “Isso não deve ser visto como um problema, mas sim como um avanço. Essa modificação já começou mundo afora e fatalmente chegará a todas as empresas”, conclui.